O desafio da segurança

Ponto que ainda causa polêmica e "cara feia" entre as corporações, a segurança em cloud começa a criar massa crítica, mesmo sem contar com práticas amplamente difundidas.

Investir em segurança como serviço é tocar um tema delicado na área de TI. Isso porque as corporações ainda veem com ceticismo a ideia de trabalhar com o tema na "nuvem", apesar de tanto prestadores de serviços como fornecedores investem pesado em soluções e na possibilidade de convencimento dos clientes corporativos.

"Em 2010 e este ano ficamos nos preparando, trabalhando os parceiros e os primeiros projetos. Existem paradigmas que precisam ser vencidos, o Governo e a área financeira ainda têm muita resistência. Mas hoje já posso discutir tecnologia, casos de sucesso e mesmo modelo de negócios", garante Nycholas Szucko, country manager da Zscaler, forncedora de segurança para web e de e-mail baseada em cloud computing.

Ele admite que no início do ano passado "começava perdendo de 2 a 0 na conversa com as corporações", porém o jogo virou principalmente para quem tenta difundir a prática. Como comparação, Szucko afirma que cloud chega a ser mais seguro que outros tratamentos de segurança. "O ambiente nos prestadores do serviço é muito mais bem montado do que os clientes têm em casa", argumenta.

Um desses provedores é a Arcon. "É uma plataforma fantástica e complementar. O cliente deve migrar com calma, experimentar, testar e explorar a plataforma. Mas segurança como serviço é a próxima grande onda", projeta Flavio Carvalho, diretor de serviços da Arcon.

Flavio CarvalhoMuros

Primeiro porque está casa vez mais complicado operar com uma equipe própria de segurança pela complexidade das ameaças e diversidade dos dispositivos de acesso à rede; "Esse contexto vai acelerar os serviços na plataforma de cloud, e os custos menores para a entrada no sistema também favorecem essa velocidade de migração", aponta Carvalho.

Quem pode migrar mais rapidamente são as empresas com múltiplos sites ou escritórios e aquelas que também adotaram a "nuvem" para atender a essa distribuição. Assim como as corporações que têm muitos colaboradores móveis e/ou que convivem com questões como sazonalidade - com necessidade pontual de aumento de infraestrutura de TI - também podem se beneficiar.
Mas será que existem outras vantagens na migração para cloud? "Com a defesa na "nuvem", as atualizações e a resposta a ameaças são muito mais rápidas do que no modelo tradicional. E como as corporações, em casa, não atualizam seus sistemas de segurança, também respondemos a isso", explica Szucko.

A modalidade de "pagar pelo uso" em segurança, segundo os especialista, será o grande apelo da prática em 2012. E mesmo a Kaspersky, que optou por uma abordagem com soluções híbridas - dentro e fora da "nuvem" - acredita no crescimento do mercado. "Estar protegido contra as complexas ameaças atuais da internet requer uma nova abordagem", aponta Eljo Aragão, gerente regional do Brasil da Kaspersky Lab.

« Retornar    |    Imprimir    |    Indique esta página

Reconhecimento

Anuário Outsourcing 2013 - Pelo 4º ano consecutivo, a Arcon fica em 1º lugar do ranking no segmento de MSS.

Matéria completa


Anuário Informática Hoje

A Arcon está entre as 10 empresas de TI que mais cresceram no ano passado, além de ganhar o prêmio "Destaque em Comercialização".
Matéria completa 


Posicionamento

Sobre a empresa

Com 18 anos de experiência, a Arcon tem como principal objetivo proporcionar a segurança de tecnologia da informação indispensável para seus clientes, elevando o nível de proteção e maximizando os resultados de seus investimentos.

Com SOCs redundantes localizados nas cidades do Rio de Janeiro e São Paulo e uma equipe de profissionais de segurança certificados e altamente capacitados, a Arcon protege mais de 600.000 ativos distribuídos nos 5 continentes e processa, diariamente, 1 bilhão de eventos.