O Wi-fi gratuito pode sair bem caro

[10 17] O wifi gratuito pode sair bem caro.png

Em um mundo cada vez mais conectado que nos exige rapidez nas atividades e imediatismo nas respostas, a conveniência de acesso à internet em qualquer lugar tem superado a consequência de seus riscos. Um estudo feito pela Private Wi-fi mostra que uma esmagadora parcela da população americana utiliza as redes públicas sem qualquer preocupação. Certamente o mesmo acontece em terras nacionais.

Não é difícil ver que a comodidade on line passa longe do problema de ter seu dinheiro ou informações financeiras roubadas, seus dados pessoais clonados ou sofrer o constrangimento de ter suas fotos ou videos particulares publicados por aí. Mas junto vem a infundada certeza de que o roubo cibernético só acontece com grandes empresas. Pois acredite: metade dos adultos nos EUA têm suas informações pessoais expostas a hackers a cada ano.

 

Você encontra tudo na internet... e os hackers também

Existem dezenas de tutoriais na internet ensinando como comprometer o Wi-fi público, alguns deles com milhões de visualizações. Confira alguns métodos:

  1. "Man in the Middle" - Nesta técnica mais usual e simples, o tráfego é interceptado entre o dispositivo de um usuário e o destino, fazendo o dispositivo da vítima pensar que a máquina do hacker é o ponto de acesso à internet. 
  1. "Evil Twin" - Similar, embora mais engenhoso, esse métodos funciona da seguinte maneira: você entra no Wi-fi gratuito no seu quarto de hotel, pensando que está se juntando à rede do hotel. Mas em algum lugar próximo, um hacker está impulsionando um sinal de Wi-fi mais forte fora de seu laptop, enganando você em usá-lo, rotulando-o com o nome do hotel. Tentando economizar alguns reais e reconhecendo o nome do hotel, você inocentemente se conecta à rede do hacker.


Mantenha os hackers longe dos seus dispositivos

Tendo em vista que o Relatório Anual da Investigação de Violação de Dados da Verizon descobriu que 89% de todos os ataques cibernéticos envolvem motivos financeiros ou de espionagem, considere as seguintes dicas de segurança:

  • Não use o Wi-fi público para compras on line, fazer login em sua instituição financeira ou
    acessar outros sites nos quais você precise fornecer informações pessoais 
  • Use uma rede VPN 
  • Implemente a autenticação de dois fatores ao fazer login em sites sensíveis. Ou seja,
    mesmo que pessoas mal-intencionadas tenham as senhas de seu banco, mídia social ou e-mail,
    elas não poderão fazer login 
  • Visite somente sites com criptografia HTTPS quando estiver utilizando esse tipo de conexão 
  • Desative a funcionalidade de conectividade Wi-fi automática no seu telefone
    (para que não busque automaticamente hotspots)
  • Mantenha o sistema operacional dos dispositivos móveis sempre atualizados

Há um ditado na indústria de segurança cibernética que diz que existem três tipos de pessoas no mundo: aqueles que foram hackeados, aqueles que ainda não foram e aqueles que estão sendo hackeados nesse exato momento mas que ainda não sabem. Quanto mais você se proteger, maiores serão suas chances de minimizar os danos potenciais.

Lembre-se: ser vítima dos perigos de um Wi-fi público é uma questão de tempo.

 

Nova call-to-action