Protegendo sua privacidade- parte 2

Você pode não perceber quanto de seus dados pessoais estão sendo acessados por anunciantes e terceiros por meio de suas contas nesses sites e navegação na Internet. Da mesma forma, suas configurações de privacidade podem ter mudado muito nos últimos tempos, fazendo com que você compartilhe mais do que gostaria em seus updates e posts.

Isso pode levar a várias consequências indesejadas. Por exemplo, um possível empregador pode desconsiderar sua aplicação à vaga porque não gostou do que viu na sua página do Facebook. Ou um assaltante pode ver no Twitter que você está fora de casa e aproveitar para invadir sua propriedade. Hackers podem coletar sua informação compartilhada e tentar usar os dados para fraudar cartões de banco em seu nome.

Felizmente, existem algumas coisas que você pode fazer para proteger sua privacidade online – tanto dentro de sites quanto externamente, usando ferramentas especializadas como o Privacy Scanner da Trend Micro. Vamos dar uma olhada nisso.

Mudando suas configurações de privacidade

Você pode mudar manualmente as configurações de privacidade em sites como Facebook, Twitter, Google+, LinkedIn, assim como em seu próprio navegador. Contudo, cada site funciona de um jeito, e alguns acabam dando mais trabalho do que outros:

Facebook:

A parte boa é que depois do escândalo da Cambridge Analytica, o Facebook fez várias mudanças para tornar mais fácil gerenciar suas configurações de privacidade. Agora existe um atalho para essa área no topo direito de qualquer página dentro do site, facilitando para gerenciar quem pode ver seu conteúdo, quem pode te contatar e como bloquear alguém que te incomoda. Adicionalmente, você pode ajustar na hora quem pode ver cada postagem, se todos, só amigos ou só você (vale lembrar que seu ajuste mais recente fica gravado para as próximas postagens).

A quantidade de dados que você compartilha com aplicativos também é algo cada vez mais importante para os usuários. Depois do escândalo de vazamento de dados, o Facebook prometeu notificar caso venha a remover quaisquer apps que estiverem violando os termos de serviço ou caso ele não seja usado ao menos uma vez em três meses, além de restringir a quantidade de dados que um app pode requisitar sem a devida avaliação do programa.

Se você quiser revisar manualmente quais informações seus apps de Facebook podem acessar, clique na parte superior direita em “Configurações”, depois vá para “Apps e Sites” na parte esquerda. Você pode escolher entre os que estão Ativos, Expirados ou Removidos e excluir aqueles que você decidir que não devem mais acessar seus dados.

Twitter:

O Twitter é mais fácil de gerenciar que o Facebook, mas tem alguns ajustes que o usuário provavelmente vai preferir para melhorar sua privacidade. Em sua conta, clique em “Configurações e Privacidade”, depois em “Privacidade e Segurança”, onde você vai ver diversas opções. Tweets são públicos por padrão, então se quiser fazer com que sejam privados e só acessíveis a amigos, clique em “Proteger seus Tweets”. Da mesma forma há opções para bloquear geolocalização, não permitir marcação em fotos nem deixar abertos seu e-mail ou telefone. Também há como bloquear o envio de dados a anunciantes e impedir o recebimento de mensagens diretas de qualquer um para evitar spam.

Browser (Chrome no Windows):

Sendo o mais popular navegador do mundo, o Chrome rastreia e vende muitas de suas atividades para anunciantes, além de compartilhá-las com diversos produtos Google. Se você não quer sincronizar seu histórico com todos os dispositivos, incluindo  o computador de trabalho, clique nos três pontinhos no canto superior direito, vá para “Configurações”, “Sync” e desabilite os recursos que você não quer. Você precisa fazer isso em todas as máquinas que você usa.

O navegador também compartilha informações com diversos outros serviços. Se você não quer que isso ocorra, pode desativar essa função em “Configurações”, “Avançadas” (na parte inferior). Embora ativar o recurso “Não rastrear” evite que terceiros guardem seus dados, isso não é totalmente efetivo. É uma boa ideia usar proteções que mantenham você e seus aparelhos protegidos contra sites maliciosos.

Clique em “configurações de conteúdo” para ver mais ajustes de privacidade. Vá até “cookies” e “manter dados locais até sair do navegador” para limitar o quais dados os sites podem pegar de você. Finalmente, avalie usar um gerenciador de senhas como o da Trend Micro em vez de guardar tudo no navegador, pois eles oferecem mais segurança.

Proteja seus dados e navegue de forma segura!

 

Fonte: Trend Micro

 

Nova call-to-action